terça-feira, 15 de março de 2016

Ex-presidente Lula deve aceitar ser ministro de Dilma Rousseff

Ex-presidente Lula deve aceitar ser ministro de Dilma Rousseff



O ex-presidente Lula se reúne nesta terça-feira com a presidente Dilma Rousseff para bater o martelo sobre o convite para virar ministro. O petista pode ir para a Casa Civil, no lugar de Jaques Wagner, ou para a Secretaria de Governo, no lugar de Ricardo Berzoini...
O mais provável é que Lula seja nomeado para comandar a Secretaria de Governo, onde assumiria a articulação anti-impeachment. O ex-presidente terá a missão de negociar com o PMDB para evitar o desembarque do governo e, consequentemente, a abertura do pedido de impeachment da presidente Dilma.
Além disso, caso aceite ser ministro, o ex-presidente ganhará foro privilegiado, o que impedirá que ele continue a ser investigado por procuradores em São Paulo e também pelo juiz Sérgio Moro, responsável pela Lava Jato, em Curitiba. As investigações sobre Lula serão deslocadas para a Procuradoria-Geral da República, em Brasília, e supervisionadas pelo Supremo Tribunal Federal (STF).
‘Grave equívoco’
A defesa do ex-presidente Lula entrou nesta segunda com novo recurso pedindo urgência para que o Supremo Tribunal Federal (STF) defina de quem é a competência para investigá-lo. O pedido foi feito depois de a Justiça de São Paulo ter decidido transferir para o juiz Sérgio Moro a decisão sobre a prisão preventiva de Lula.
Os defensores do ex-presidente argumentaram que a Justiça Paulista cometeu “um grave equívoco” ao transferir o caso para o juiz Sérgio Moro, responsável pela Lava Jato.Eles defendem que o caso seja investigado pelo Ministério Público de São Paulo, que na semana passada ofereceu denúncia contra o petista. Segundo os advogados, há um conflito de atribuições.
Escrito por  O Dia 
Publicado em Política
Ler 13 vezes
Avalie este item
- See more at: http://www.pbacontece.com.br/Blog/categories/politica/item/6037-ex-presidente-lula-deve-aceitar-ser-ministro-de-dilma-rousseff#sthash.dvWTqDBF.dpuf

0 comentários:

Postar um comentário